31 de mai de 2013

Mentoplastia (Cirurgia de Aumento do Queijo)

O mento, assim como o nariz, é parte fundamental à formação do perfil da face, sendo muito importante na estética do rosto.
Não é raro que apresente alterações de posicionamento como o avanço ou a retração, e nesta última forma dá a impressão de um nariz muito maior do que realmente é. As cirurgias que visam alterar o perfil da face, atuando no nariz e no mento são conhecidas como perfiloplastias.
A mentoplastia mais comum é aquela que visa corrigir o retro posicionamento e isso se faz através da inclusão de uma peça de silicone, geralmente pré-moldada.
Existem casos de retração completa da mandíbula que não podem ser corrigidos por este procedimento e necessitam cirurgias mais complexas com remodelações e avanços ósseos.
CUIDADOS PRÉ-OPERATÓRIOS
Após conversar com seu médico e esclarecer todas as suas dúvidas, ele lhe indicará alguns exames de rotina que recomendamos sejam feitos cerca de 10 dias antes da cirurgia. Também uma avaliação clínico-cardiológica (risco cirúrgico) será recomendada. Em casos determinados podemos solicitar outros exames específicos que possam ajudar no esclarecimento diagnóstico. Informar ao seu cirurgião plástico quanto à intercorrência de algum dente infeccionado ou inflamado, principalmente da arcada inferior. Caso ocorra esta eventualidade, solicite de seu dentista que o(a) trate, antes mesmo de se decidir pela mentoplastia de aumento.
Lembre-se das recomendações gerais para as cirurgias, como não usar, por 2 semanas antes, medicamentos à base de AAS, anticoagulantes, corticóides de uso prolongado ou medicamentos para emagrecer; abstinência do fumo por 30 dias antes da operação; não usar cremes faciais e corporais a partir da véspera da cirurgia; jejum de acordo com a recomendação médica (10 horas antes da cirurgia). Comunicar ao seu médico qualquer anormalidade ou uso recente de medicamentos, alergias medicamentosas ou alimentares; guardar em casa objetos pessoais como jóias e bijouterias e alguma outra recomendação que venha a ser pertinente. Acordar de jejum no dia da cirurgia, tomar banho completo e chegar ao hospital 1 hora antes da cirurgia, com acompanhante.
A CIRURGIA
O procedimento normalmente é realizado sob anestesia local e sedação, e pode ser associada a outras cirurgias como a rinoplastia ou o”face-lifting”. A duração da cirurgia para o aumento do contorno do queixo é de cerca de 30 minutos, quando realizado isoladamente. A cirurgia é feita de forma ambulatorial, com alta prevista para o mesmo dia. Consiste na incisão debaixo do queixo e dissecção de um espaço justa ósseo para encaixar a prótese, que é fixada aí antes de se dar os pontos de fechamento dos tecidos. Existem também técnicas de implante destas próteses por via intra-oral. A pequena cicatriz deixada pela cirurgia é, na maioria das vezes, quase imperceptível e se localiza logo abaixo do queixo.
O silicone sólido vem sendo usado há vários anos no mercado da cirurgia sem que se tenha detectado a relação de doenças cancerígenas a ele associadas. Podem ocorrer casos de extrusão da peça de silicone (raros) devido a vários fatores como infecção, traumatismo sobre a área operada, hemorragia etc. Nesses casos, retira-se a peça, mediante cirurgia com anestesia local, sendo que posteriormente (não menos que 6 meses) poderá ser introduzida uma nova peça.
PÓS-OPERATÓRIO
O(a) paciente sai da cirurgia com um curativo local cuja finalidade é manter a prótese imobilizada além de servir de proteção a traumatismos eventuais.
Não é comum ocorrer dor intensa no pós-operatório e algum incômodo pode ser debelado com o uso de analgésicos comuns.O edema (inchaço) pode ser de maior ou menor intensidade, dependendo de cada caso, sendo mais intenso nos 7 primeiros dias da cirurgia e podendo ser acompanhado de equimoses (manchas roxas na pele).
O(a) paciente receberá alta hospitalar com todas as recomendações necessárias a uma boa recuperação:
- Recomendamos que, para controle deste edema, os pacientes evitem conversar demasiadamente ou comam alimentos mais duros nos 7 primeiros dias após a cirurgia;
- Repouso de atividades físicas e limitação de movimentos bruscos e amplos;
- Deitar com o tronco elevado por almofadas e travesseiros. Não deitar de lado ou de bruços até que seja autorizado pelo seu cirurgião;
- Banhos molhando a cabeça somente com a autorização da equipe cirúrgica (geralmente no 1º dias de pós-operatório);
- Não trocar ou manipular os curativos, mesmo que haja um pequeno sangramento (que é normal e não deve assustá-lo (a)). Todas as trocas de curativos deverão ser feitas pela equipe cirúrgica ou orientadas por ela;
OBSERVAÇÃO
Sangramentos copiosos ou variações volumétricas exageradas e de acontecimento súbito, acompanhados de dor, devem ser imediatamente comunicados ao seu médico. Pode se tratar de um hematoma e deve ser avaliado prontamente.
- Os retornos para a retirada de pontos e avaliação pós-operatória são feitos com 3 e 5 dias da cirurgia. Retornos adicionais serão comunicados pelo cirurgião e devem ser seguidos para uma completa recuperação e avaliação dos resultados.
- Após 1 mês poderá retornar a suas atividades físicas habituais como ginástica e natação;
- Exposição ao sol, com o intuito de bronzear, somente será permitida após 60 dias. Até aí, pequenas caminhadas sob o sol poderão ser feitas com o uso de bloqueadores solares;
- O(a) paciente jamais deverá fazer compressas quentes na área operada, para melhorar o inchaço. A pele ainda estará sensível e poderá ocorrer queimadura de 3º grau.
No período pós-operatório imediato, o(a) paciente permanecerá sonolento(a) e poderá iniciar a dieta algumas horas depois, dependendo de cada caso. Isto será orientado pelo cirurgião e sua equipe. A cabeça ficará um pouco elevada não podendo deitar de lado para não distorcer o edema.
A partir da operação, o organismo reage com inchaço e manchas roxas na pele que podem variar de uma forma discreta a reações mais intensas. Estas reações podem aumentar nos três primeiros dias e então iniciam o processo de regressão.
Não recomendamos o uso de cremes hidratantes até a retirada total dos pontos sendo que os esfoliantes e despigmentantes somente serão permitidos após avaliação do cirurgião. Neste período, somente é permitido lavar o rosto de forma suave com sabonete neutro e cremoso. Os cabelos poderão ser lavados cuidadosamente após o 1º dia da cirurgia, não usando secadores quentes ou mornos (eles poderão danificar a pele e até queimá-la, pela proximidade da área operada).
A maquiagem poderá ser usada após cerca de 3 dias e a exposição ao sol, restrita ao 1º mês da cirurgia.
- Recomendamos a realização de massagens (drenagem linfática) com início no 5º dia de pós-operatório, até cerca de 30 dias, ou de acordo com a avaliação médica.
Lembre-se que nenhum resultado cirúrgico deve ser avaliado antes dos três meses da intervenção, considerando a redução do inchaço. O nosso organismo trabalha dentro de uma forma ordenada e um tempo certo. Temos que controlar nossas ansiedades e aguardar a evolução natural pois aqui não podemos interferir para mudar o curso do processo cicatrIcial.

Tire suas Duvidas: 41024444

24 de mai de 2013

Como é feito o Implante Capilar.

Implante capilar só pode ser feito por quem tem fios fortes e volumosos Quem tem fios mais grossos e fortes laterais e atrás é um melhor candidato. Em geral, são feitas duas sessões, dependendo do grau da calvície e da densidade do cabelo. Os resultados começam a aparecer em seis meses.Cabelo do próprio paciente serve de doador e é retirado de trás da cabeça. Quem faz cirurgia deve manter cuidados para evitar queda na área sadia.
  • Implante ou transplante capilar é uma opção para homens e mulheres calvos que ainda têm fios volumosos e elásticos atrás da cabeça. O cabelo do próprio paciente serve de doador: é retirado do couro na hora da cirurgia e implantado, fio por fio, nos folículos (onde nasce cada um deles) da área careca. Mas quem recorre à cirurgia deve continuar o tratamento para evitar a queda na parte saudável.
  • Como é feita a cirurgia
  • Cada sessão implanta até 5 mil unidades foliculares – um folículo reúne de um a quatro fios – e deve haver um intervalo de um ano e meio entre uma e outra. A maioria não introduz mais do que 2 mil unidades. No mercado, o preço varia por sessão. Além do Brasil, Canadá, Estados Unidos, Europa e Austrália são referência no assunto.
  • Com as técnicas modernas disponíveis atualmente, as chances de sucesso – os fios crescerem na área afetada e a aparência ficar natural – chegam a 95%. A operação que inseria tufos de cabelo, já está totalmente ultrapassada.
  • O implante pode ser feito por pessoas acima de 25 anos e deve ocorrer na mesma direção, no mesmo ângulo e com as mesmas irregularidades dos fios que caíram. Uma equipe médica que abrange de 5 a 12 profissionais passa entre 5 e 10 horas focada no procedimento, que envolve fazer “furos” de até 0,8 mm no couro cabeludo e, neles, implantar os fios sadios. A parte onde foram removidos os cabelos, que devem ter cerca de três dedos de comprimento, recebe ou não pontos.
  • O paciente pode fazer o implante com um cirurgião plástico habilitado. A operação é feita em consultório ou hospital, com anestesia local. Entre as recomendações antes do procedimento, estão tratar bem o couro cabeludo, que precisa ficar livre de caspa e inflamações.
  • No caso das mulheres, deve haver tratamento hormonal ou reposição de vitaminas, se essas forem as causas do problema. Ambos os sexos também são instruídos a, três meses antes da cirurgia, massagear diariamente a região do couro cabeludo de onde serão retirados os fios saudáveis.
  • Pós-operatório
  • As pessoas vão para casa no mesmo dia. No dia seguinte, devem voltar ao médico para lavar o cabelo. Doze dias depois, são retirados os pontos. O acompanhamento, então, é feito após um mês e meio, três meses, seis meses, um ano e um ano e meio.
  • A cirurgia impacta demais a vida social do paciente. Muitos que são mal-humorados ou apressados viram outra pessoa, mais doce, vaidosa.
  • Passado um mês, o cabelo implantado cai e um novo nasce no lugar em até três meses. Nesse intervalo, o paciente fica careca. Pode lavar o cabelo normalmente, tanto nesse período quanto depois de os fios crescerem.
O retorno ao trabalho ocorre no segundo dia após a cirurgia. Em dez dias, o procedimento

já é capaz de passar despercebido. Atividades físicas leves podem ser feitas a partir do

terceiro dia. Já esportes mais pesados requerem uma espera de duas semanas, fase em

que também devem ser evitados cigarro e bebidas alcoólicas. Também não se deve tomar

sol direto na cabeça durante seis semanas.


DR DAVI PONTES


85 4102-4444 ou 085 85825399

Mastopexia x cicatrizes

A perda de elasticidade da pele da mama, provocada por alterações de peso, gravidez, amamentação, envelhecimento e ação da gravidade, contribuem para que a mama se torne mais flácida, caída e com os mamilos apontados para baixo. Para a correção desta condição conhecida como Protese Mamária existe a Mastopexia, uma cirurgia que consiste em retirar o excesso de pele e elevar as mamas (“lifting”) e/ou alterar o seu formato sem modificar acentuadamente o seu volume. Além da correção da flacidez, a Mastopexia pode ser útil também para reduzir a diferença entre as mamas (Assimetria) e redução do tamanho da aréola e do mamilo.

O tipo de cicatriz resultante das Mastopexias dependerá de qual deva ser o ajuste realizado na pele excedente das mamas. Existem 3 possibilidades de cicatrizes: A PERIAREOLAR (Ao redor da aréola), a VERTICAL e a em “ T INVERTIDO ”. Quanto mais pele e tecidos a serem removidos maiores as cicatrizes resultantes, ou seja, mamas pequenas, com pequeno excesso de pele, podem ser tratadas com a inclusão de implante mamário e retiradas de pele ao redor da Aréola resultando em uma cicatriz Periareolar. Mamas com excesso de pele intermediário, com conteúdo não muito avantajado, poderão ser tratadas, com ou sem a necessidade do uso de implantes mamários, terão uma cicatriz resultante ao redor da aréola e com um ramo vertical até o sulco mamário, esta é chamada de cicatriz Vertical. Aquelas mamas que apresentam base larga, seu conteúdo totalmente disposto na região mamária inferior, muito caídas, pele bastante excedente, poderão ser tratadas com uso ou não de implantes mamários, e o ajuste dos excessos irão determinar o formato das cicatrizes tipo “T Invertido”.

A anestesia usada é a sedação ou, por vezes, a anestesia geral. Recomenda-se habitualmente um internamento de 24 h. Por cerca de 12 meses as cicatrizes passam por um período em que se encontram vermelhas e depois vão progressivamente clareando e em alguns casos dificilmente se notam. Claro que a qualidade da cicatriz depende das características genéticas da pele. No pós-operatório é importante massagem e aplicação de gel de silicone para uma estabilização mais rápida da cicatriz. Aconselha-se o uso de sutiã de desporto durante 2 meses. O período de repouso é de cerca de 1 semana.
No primeiro mês de pós-operatório a mama fica tensa e hipersensível. Gradualmente, vai ficando natural ao toque e modificando ligeiramente a forma, só se obtendo um resultado definitivo por volta dos 12 meses.
Em certos casos é necessário correção das cicatrizes após o período de estabilização das mesmas. Recomenda-se evitar a exposição solar durante 2 meses.
Após uma cirurgia de Mastopexia a amamentação não fica comprometida.

Tire suas Duvidas: 41024444

6 de mai de 2013

Mini Abdominoplastia em Fortaleza


Mini Abdominoplastia em Fortaleza

Ter uma barriga bonita, sem traços de flacidez é o que diversas pessoas procuram para equilibrar a silhueta e elevar a autoestima. Para quem não apresenta muita gordura, mas apenas pequenas sobras de pele e flacidez muscular na barriga, o procedimento indicado é a miniabdominoplastia, a miniplástica da barriga.
O procedimento de abdominoplastia é indicado para pacientes que buscam melhorar a aparência abdominal, principalmente a parte inferior do abdome. A técnica é recomendada para pessoas que já alcançaram o peso ideal, logo não é aconselhada como método para emagrecimento. O momento correto para realização da miniplástica da barriga é após uma gravidez ou perda considerável de peso, uma vez que o procedimento vai retirar as sobras de pele.
A cirurgia, que dura entre três e quatro horas, consiste na realização de uma incisão parecida com a de uma cesariana, rente à linha dos pelos pubianos. O cirurgião descola a pele, reposiciona a musculatura e elimina o pequeno excesso de pele. Caso o paciente possua volume levemente excedente de gordura, pode-se associar o procedimento à lipoaspiração do abdome e dos flancos, visando a otimização do resultado. Geralmente, a cirurgia é realizada com a utilização de anestesia peridural ou local, com sedação.
A retirada dos pontos é realizada entre cinco e 15 dias. A cicatriz resultante localiza-se sob a linha do biquíni, o que a deixa camuflada. O procedimento necessita de repouso, que pode variar de cinco dias a uma semana, e deve-se evitar o sol e esforços físicos nos dois primeiros meses.
No primeiro mês, é necessário que o paciente durma com o abdome voltado para cima e use uma cinta abdominal para ajudar a conter o edema (inchaço), bem como para reduzir a equimose (roxos). Atividades que não exijam esforço físico podem ser iniciadas após três semanas da realização da cirurgia. Os exercícios físicos serão liberados a partir do segundo mês.
O resultado final não deve ser avaliado antes do primeiro ano, uma vez que a evolução deste procedimento é lenta e, no princípio, a pele se apresenta com aspecto tenso. Após o período de recuperação normal da pele, a miniabdominoplastia apresenta resultados satisfatórios, equilibrando o contorno corporal do paciente com naturalidade.

Tire sua Duvidas ligue: 41024444 ou 85825399